quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Educação Ambiental e os Coletivos Educadores

Coletivos Educadores são grupos formados por diferentes instituições (universidades, secretarias de educação e de meio ambiente, órgãos públicos, ONGs, pastorais, Redes de Educação Ambiental, Movimentos Sociais) que atuam no campo da educação ambiental, educação popular, ambientalismo e mobilização social, em processos formativos permanentes, participativos e continuados.
A formação de Coletivos Educadores foi proposta pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) a partir do Programa Nacional de Educação Ambiental (ProNEA) e do Programa Nacional de Formação de Educadoras e Educadores Ambientais (ProFEA). A proposta se consolidou em 2006 através da primeira chamada pública para o Mapeamento de Potenciais Coletivos Educadores para Territórios Sustentáveis. Hoje existem cerca de 150 coletivos no território nacional.

O papel de um Coletivo Educador é promover a articulação institucional para consolidação de políticas públicas em educação ambiental e a reflexão crítica acerca da problemática socioambiental. O objetivo é criar condições para o desenvolvimento continuado de ações e processos de formação em Educação Ambiental visando a construção de territórios sustentáveis.
Os Coletivos Educadores promovem processos de formação por meio da arquitetura da capilaridade que busca formar um cidadão multiplicador de processos educativos (BRASIL, 2006). Isso significa fomentar a construção de um processo dialógico em que todas as pessoas do município venham a atuar como educadores ambientais, de modo a colaborar para um debate que influencie nas políticas públicas.


video

O Coletivo Educador Pirá Sykauá (que em tupi guarani significa “lugar onde o peixe pára”, Piracicaba) é formado por representantes de grupos de estágio e de laboratórios da ESALQ (Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”), integrantes da Secretaria Estadual do Meio Ambiente, ONGs, entre outros. O coletivo de Piracicaba se iniciou em 2006, na época de realização do evento Semana do Pisca, evento que consiste numa série de atividades de Educação Ambiental voltadas para a conservação da sub-bacia do Piracicamirim. Com o desenvolvimento das atividades, o grupo ampliou sua atuação para o município de Piracicaba e região.
Atualmente, o coletivo Pirá Sykauá desenvolve atividades em todo o município de Piracicaba e região. Qualquer pessoas interessada está convidada a participar das reuniões, que ocorrem às segundas feiras, às 14:00 hs, a cada quinze dias. As reuniões ocorrem nos diversos espaços das instituições. Quem tiver interesse em participar deve enviar contatar o coletivo educadores (019-3429-4436, r. 235 ou coletivopira@gamail.com). A educação ambiental, quando participativa, portanto, comprometida com a transformação social, pode contribuir para a ampliação e consolidação de uma cultura mais democrática e, portanto emancipatória da sociedade. Para Paulo Freire, é através da perspectiva emancipadora da educação que o ser humano chega a ser sujeito, podendo assim, construir-se e construir a sua própria história.

Referências

BRASIL. Programa Nacional de Formação de Educadoras e Educadores Ambientais (PROFEA), Brasília: Ministério do Meio Ambiente (MMA), 2006.

Por Lorena Gebara, graduanda do oitavo semestre do curso de Ciências Biológicas, ESALQ/USP, estagiária do Projeto Educorumbatai, sob orientação de Profa. Laura Alves Martirani, coordenadora do Projeto

5 comentários:

  1. Muito boa a coluna. Conseguiu, de form clara e suscinta, concientizar a respeito da importância dos coletivos educadores, bem como do esenvolvimento contituado de ações de educação ambiental. Além disso deu para ter uma noção de todo trabalho que vem sendo desenvolvido junto ao Pisca, e outros parceiros. Meus parabéns pela trilha sonora! Realmente muito boa e condizente! Além de por si só educadora!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. "A humanidade não se divide em heróis e tiranos. As suas paixões, boas e más, foram-lhe dadas pela sociedade, não pela natureza."

    Charles Chaplin

    ResponderExcluir
  4. Muito boa matéria! Os Coletivos Educadores são, a meu ver, a nova forma de organização social em prol de uma mudança buscando a construção de sociedades sustentáveis, justas e igualitárias. Precisamos dialogar mais para consolidar uma política de incentivo a estruturação de Coletivos para desenvolver um município educador ambientalista.

    ResponderExcluir
  5. Educação Ambiental
    Conselhos para Educadores Ambientais
    Autor: Julis Orácio Felipe
    Descrição :
    A legislação ambiental brasileira é vasta. Entretanto, fazendo uma análise crítica do sistema jurídico ambiental brasileiro é possível captar-lhe a essência. Essa obra auxilia o educador ambiental a montar uma cartilha permitindo ao educando assimilar melhor nossa legislação e o caráter prevencionista do tema meio ambiente.
    www.clubedosautores.com.br

    ResponderExcluir